Angry Birds

No dia 15 de maio, Peter Versterbacka, finlandês, criador do jogo infantil Angry Birds esteve em Porto Alegre na feira BITS 2014, relacionada à tecnologia de informação e business intelligence.

Peter tem um projeto muito ambicioso: revolucionar a educação mundial com um programa de aprendizagem divertido, formado por games e aplicativos, mas também livros e jogos físicos, além dos digitais. O criador do Angry Birds acredita que o aprendizado será formado por todas essas ferramentas, tanto eletrônicas como digitais, mas que sejam sempre divertidas.

Com o planejamento de espaços físicos criativos e divertidos e um programa de dois anos de formação de professores, a Rovio, empresa de Peter e a criadora do Angry Birds, já iniciou a implantação do programa em formato de teste na Finlândia e na China e pretende dar seu próximo passo no Brasil.

O programa Angry Birds Playground é dirigido a crianças de três a seis anos e se baseia no currículo escolar da Finlândia, país apontado em diversas pesquisas como detentor dos melhores níveis educacionais do mundo. Peter diz que o objetivo é concentrar os jogos e o programa educacional nas habilidades do século 21, com foco em criatividade, pensamento crítico, colaboração e negociação. Ainda segundo a visão de Peter, “o primeiro passo para implantar o programa começa com os mestres, pois, se não treinarmos os professores, nada vai acontecer”.

Segundo a filosofia da Rovio, a aprendizagem é divertida quando o estudante ama o que faz, pode escolher o que quer fazer, sente-se seguro em um ambiente inspirador e quando a tarefa é tão envolvente que mesmo quando você falhar, isso é algo divertido.

Durante o evento, Thomas Steren Pereira, de 11 anos, perguntou quantos jogos a Rovio fez antes do Angry Birds. Peter respondeu que 51 jogos deram errado em seis anos até que um deles se tornasse um sucesso.

Segundo Peter, a Rovio pretende trabalhar duro para melhorar a educação no mundo, seja com ou sem apoio de governos ou de outros parceiros da iniciativa privada, pois a empresa tem a visão e a determinação de estar fazendo algo certo e justo para as crianças, que merecem um aprendizado mais divertido e um mundo melhor.

Share Button

Caroline Bücker

Mestranda em Educação, Publicitária, pós-graduada em Gestão Empresarial, professora universitária, consultora de estratégia. Facilitadora de cursos de Design thinking na PUCRS/Crialab/Tecnopuc e em cursos independentes e colaborativos. Co-fundadora do Coletivo Thinkers Poa. Incomodada com a atual situação da escola e os formatos muito tradicionais de ensino e de aprendizagem, acredita na transformação do ser humano através de uma educação mais inclusiva, criativa e divertida.

Deixe uma resposta